25 outubro, 2008

O Expresso errou


Acabo de ler no jornal Expresso de hoje que o "Estado gastou 134 milhões de euros em consultadoria " entre 2004 e 2006,
que não tiveram aplicação prática.

Foram ao todo 1353 trabalhos encomendados no exterior que segundo o Tribunal de Contas, não tiveram tradução prática o que em linguagem comum significou dinheiro que foi para os porcos.

Então onde está o erro do Expresso ? Perguntar-se -à.

Um jornal como o Expresso não pode extrair conclusões precipitadas desta notícia, afirmando que esses gastos da responsabilidade de Barroso, Santana e Sócrates, não tiveram aplicação prática, por ser evidente que a aplicação prática mais relevante, foi por certo alimentar o bolsos de alguns amigos.

Nem a outra conclusão se pode chegar, sabendo que se as consultadorias fossem para arquivar, bastava que as mesmas tivessem ficado dentro de casa, porque para o efeito o próprio Estado tem 96 organismos com funções exclusivas de consultadoria.

Entre as entidades contratadas destacam-se as sociedade Sérvulo Correia & Associados, com encomendas no valor de 1,6 milhões de euros, e Rui Pena, Arnault & Associados, com 702 mil euros.

Por acaso nomes ligados à política,portanto amigalhaços de alguém.

3 comentários:

Claras o contestatário disse...

Muito bom post, Luisinho!


beijinho

Luís Maia disse...

Os gajos obrigam-nos a fazer bons post .

Obrigado querida

Luís Maia disse...

Os gajos obrigam-nos a fazer bons post .

Obrigado querida