06 agosto, 2008

ISRAEL



Mais uma vez os Israelitas se portam como como assassinos.
mais uma vez os Israelitas demonstram não saber o que são Direitos Humanos, que tanto invocam para si
mais uma vez os Israelitas se portam como um povo bárbaro, que nos faz, a todos, esquecer que alguma vez tiveram razão em reclamar por terem sido perseguidos.
mais uma vez os Israelitas perseguem o povo Palestiniano.

Não deixar entrar doentes, em perigo de vida para serem tratados, aos que vivem na faixa de Gaza, para mim, são crimes contra a Humanidade, debaixo da alçada do Tribunal Penal Internacional.
A UE vai continuar a fazer papel de embrulho, em relação a Israel?

16 comentários:

Anônimo disse...

A leviandade do post dispensa comentários.
No entanto, impõe-se denunciar essa análise de pacotilha, essa demagogia sem freio.
E se pensasse um pouco antes de escrever?

Claras o contestatário disse...

Olá Anónimo

Bem-Vindo!

Chamar-me demagógica de pacotilha e dizer para eu pensar antes de escrever, acho que não são argumentos.
Gostaria que viesse debater o que eu disse, mas com argumentos, que terá como me parece evidente.
Mas o que disse, acho eu, é pior do que o que eu disse, nos seus termos.

Beijinhos e volte sempre

Carla disse...

Amiga é assim em relação ao conflito que opõe Israel à Palestina acho que nada do que se diga conseguirá agradar a gregos e a troianos.
É tudo tão complexo que uma razão que se encontre para um lado fará surgir inevitavelmente outra razão do lado oposto...ambos os povos têm sofrido por atrocidades cometidas entre eles e por outros povos, ambos se arrogam de donos da razão...infelizmente ambos se esquecem que sem diálogo, que sem conessões nada se fará naquela região. E os ódios continuarão a ser alimentados de vidas humanos e os extrememismos continuaram a fazer vítimas (na maior parte dos casos inocentes).
Dois povos...uma só terra dificilmente poderia originar uma situação de paz...um assunto mal gerido desde o início e ao qual não se tem conseguido dar a correcta solução.
Acho lamentável que não se deixe entrar em hospitais doentes em perigo de vida...mas quem vive em situação de guerra permanente tem códigos de conduta que certamente são diferentes dos nossos!
Correctos? Provavelmente não...mas na selva continua a vigorar a lei do mais forte!
beijos

Claras o contestatário disse...

Olá Carla

Claro que o conflito Israel/Palestina
é extremamente complexo.
mas uma coisa é certa:
Israel não quer a paz e o Hamas também não.
Mas que não se respeitem eleições livremente feitas, só porque Israel não quer aqueles que foram escolhidos....só mesmo com a ajuda da América.
No entanto será sempre bom não esquecer que Israel nunca aceitou ficar confinada às terras que lhe foram entregues, e que invadiu terras Palestianas.


beijinho

Carla disse...

Numa coisa tens razão...provavelmente sem interferências externas este conflito nunca se teria agudizado e atingido as proporções que atingiu
bom fim de semana amiga
beijos

Claras o contestatário disse...

Beijinho Carla e um óptimo fim de semana para ti

nonas disse...

Israel tem feito o que quer, o que acha como "povo eleito".
Desde que ocupou a Palestina está a marimbar-se para as declarações e as resoluções da ONU que a condenam - quando podem e é raro - pois o veto americano/judaico está sempre presente.
Considere o insulto "demagógica de pacotilha" um elogio apesar, e acima de tudo, de vir de alguém que sob anominato a adjectiva "simpatica e educadamente".
A ignorância devia pagar imposto, pois esse Anónimo não sabe, não quer, ou não pode perceber que o que está em causa é a criação do "Grande Israel"! Para isso, precisam de partes do território iraquiano, sírio e líbano. Assim talvez se aperceba que as guerras no Médio Oriente só servem os interesses judaicos!
Quem lucrou com a guerra Irão/Iraque, quem lucrou com a invasão do Líbano por Israel? Quem lucra com a actual invasão do Iraque?
Para além de servirem de apoio à economia americana, principalmente, à indústria que mais e melhor suporta o orçamento de estado do EUA: a indústria do armamento!
Espero que o Anónimo aproveite as férias para as passar num kibutz em Israel ou nos colonatos judaicos que vão aumentando e aproveite para ler um livro muito interessante intitulado: "O Antigo Testamento" sobre as tropelias judaicas e as judiarias feitas nesses tempo. Não pense que o livro é de um autor nazi! Não, não
é! Esteja descansado! Faz parte da Bíblia!!!

Vítor Ramalho disse...

Mais uma análise de pacotilha

Por cada israelita morto, Israel mata uma centena de palestinianos.
Israel era o único país do mundo que apoiava o regime racista de apartheid na Africa do Sul.
A empresa que supervisionou a contagem dos votos no Zimbabué era israelita.
Ficamos por aqui, porque para alguns os crimes dos “bons” são danos colaterais, a verdade dita por um “mau” é crime.

Vítor Ramalho disse...

P.S.

Claro que o meu recado vai par o anónimo que faz um comentário esses sim de pacotilha.
Não ver que o que se passa na Faixa de Gaza e no resto do mundo, tem a mão do sionismo é mau, tentar que os outros também não vejam é grave.

Claras o contestatário disse...

Olá Nonas


Obrigado pelo apoio.
O que tenho pena, é que as pessoas que não estão de acordo com qualquer assunto, não o venham discutir, ou trocar ideias com argumentos.
O comentário do anónimo, não tem nenhum valor, exactamente por não ter argumentos, apesar de ter sempre ouvido dizer que o "ataque é a melhor arma de defesa" e se precisa de defesa....já me deu razão.

Beijinho

Claras o contestatário disse...

Olá Vitor Ramalho

Um prazer tê-lo aqui, ainda para mais porque o sei Amigo de Mário.

Não sabia que a empresa que tinha supervisionado a contagem dos votos no Zimbabué era israelita.

Obrigado pelo seu comentário.
Felizmente, não sou muito dada a mudar de opinião, salvo se me convencerem de que estou errada.
Não seria um comentário sem nenhuma argumentação, que faria vacilar as minhas opiniões ou convicções.

Beijinho

Claras o contestatário disse...

Penso, aliás, que nenhum anónimo que faça este tipo de comentários, tenha a coragem de vir debater ideias.
A cobardia, é o que mais anda por aí à solta, a cobardia e a desonestidade intelectual.

Obrigado a todos

Vítor Ramalho disse...

O Mário é que faz o favor de ser meu amigo desde os tempos da Faculdade.
Mas foi por outro amigo comum que aqui cheguei. O Nonas fez uma referência ao seu artigo no blogue.
Deixo a ligação para um texto sobre a questão da ajuda Israelita ao Zimbabué.
http://almapatria-patriaalma.blogspot.com/2008/03/o-imprio-do-mal.html

Claras o contestatário disse...

Obrigado Vítor Ramalho

Não sabia que o Nonas tinha feito referência ao meu post.
Obrigado também pelo link

beijinho

nonas disse...

Olá Minucha,
já sei que fui "apanhado" - por ter armado boa confusão - pela denúncia do Vítor.
Está a ver como não se pode confiar nos amigos...
Relativamente ao anónimo há que deixá-lo em paz na sua ignorância, na sua leviandade e no anonimato.
Pelo menos, já teve direito a um "elogio" e estou certo que não ficará por aqui sempre que tocar a tecla hipersensível de Israel.
Escusava de ter ido agradecer ao meu blogue a referência que fiz.
O mérito foi seu e eu limitei-me a chamar a atenção do mesmo.

Claras o contestatário disse...

Olá Nonas


sorriso divertido, quanto a não se poder confiar nos amigos

Poderia continuar a ser anónimo e vir debater, ou pelo menos argumentar..
Foi ao seu, já não é mau.

Claro que tinha de agradecer, não são gestos que todos façam com frequência.
Obrigado

beijinho