28 julho, 2008

POLÍCIAS E LADRÕES



No JUMENTO li esta notícia tirada do Correio da Manhã

«Seis indivíduos armados de shotgun assaltaram e agrediram na passada madrugada uma Brigada de Investigação Criminal da PSP no Entroncamento e roubaram a arma de um dos polícias.O assalto ocorreu quando os agentes, à paisana, num carro descaracterizado, se preparavampara abordar três dos suspeitos que estavam parados com um Fiat Tempra na Rua D. Pedro V junto a um loteamento. » [Correio da Manhã]

O que me deixa deixa preocupada, não é o assalto propriamente dito, visto que até já as esquadras são assaltadas, e nós vamos-nos habituando a assistir à degradação, que uma das coisas mais humanas que todos temos é a grande capacidade de adaptação, haja Deus.
O que me preocupou, foi assaltarem e agredirem uma BRIGADA DE INVESTIGAÇÃO CRIMINAL DA PSP, estando os agentes à paisana e num caso descaracterizado.
Para mim, isto dá para todas as especulações.
- como é que uma brigada criminal da PSP, é detectada e reconhecida?
- costumam andar fardados? depois desfardam-se para não serem reconhecidos? está tudo parvo?
- não costumam andar fardados e mesmo assim foram reconhecidos. Como? haverá "bufos" no seio da PSP?
- pelos vistos o carro descaracterizado deve ser igual às das brigadas da GNR, que toda a gente se for com atenção sabe quais são.

Portugal passou a brincar aos polícias e ladrões, que eu percebo perfeitamente, quando era criança era um dos jogos que mais gostava, completamente fascinante, já com ideias de estratégias, gostava de ser ladrão e era raro ser apanhada.
Vamos por aí , que vamos bem.

2 comentários:

Pena disse...

Estimada Amiga:

O caso é profundamente grave.
O que tão bem explicita é repleto de lógica, sensatez e sobriedade que coexistem consigo e com o seu simpático e poderoso bom-senso nas perguntas que levanta.
Neste caso, dou-lhe completamente razão.
Agora repare. A criminalidade existe porque existe "desgoverno" por parte de marginais que vivem miseralvelmente e, necessitam fazê-lo para sua própria forma de sobrevivência.
Falo destes casos, particularmente.
Já se perguntou porque a sociedade cria marginais?
Têm fome. Precisam de sustento. Necessitam de bens minímos de sobrevivência para si e para os seus?
Penso que as sociedades criam marginais por sua responsabilidade, conta e risco.
Tratam-se de casos particulares onde impera a razão, mais que a insensatez do crime que praticam.
É necessários compreender as razões porque fazem o que fazem.
Se tivesse fome era capaz de matar para comer?

Este caso que menciona num texto admirável e oportuno é diferente.
Tratam-se de pessoas que atentam contra forças de autoridade o que é grave. Dou-lhe toda a razão.
Sensacional, o seu ponto de vista, amiga doce.
Beijinhos de amizade que respeita, considera e estima.
Sempre a admirá-la

pena

Claras o contestatário disse...

Olá Pena


É sempre um gosto ver-te por aqui.
Vou, fazer post com parte do teu comentário e com a minha resposta, se não te importas, porque o problema que levantas é demasiadamente importante para ficar só em comentário.

Beijinho Amigo