10 fevereiro, 2009

Que a História não se repita

Salazar disse o seguinte no I Congresso da União Nacional em 26 de Maio de 1934

a economia liberal que nos deu o supercapitalismo, a concorrência desenfreada, a amoralidade económica, o trabalho mercadoria, o desemprego de milhões de homens, morreu já.

Receio apenas que, em violenta reacção contra os seus excessos, vamos cair noutros que não seriam socialmente melhores.

A História disse-me, que os excessos que na sequência da famosa crise de 1929 aconteceram e que não seriam socialmente melhores, foram ele próprio e o seu Estado Novo, porém, como as suas palavras se ajustam na perfeição a esta nova crise espero ardentemente que não apareça outro igual ou parecido, é a minha enorme esperança que a História não se repita.

5 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Ora, seu comunista,

O que é que você tem contra os desvairados sexuais?

Luís Maia disse...

Meu caro Funes

Comunista já fui, passei a esquerdalho fino.

Contra os desvairados sexuais não tenho quase nada, sou e anti-salazarista primário

Blimunda disse...

A Histório sempre se repetiu amigo. Por vezes apenas com roupagens diferentes. Tarda nada vai ficar a saber que Sócrates será reeleito e com maioria absoluta. Aí terá o seu ditador no seu apogeu.

Luís Maia disse...

Concordo Blimunda, que as roupagens são diferentes.

Percebo os ditadores que não são eleitos os outros custa-me a aceitar como podem ser reeleitos

Carla disse...

a história repete-se sempre...e desta vez não será diferente, infelizmente.
A situação económica será apenas o motivo para que as coisas voltem a acontecer e o mais caricato é que uma das pessoas que mais contribuiu para que essa situação se tivesse instalado é precisamente a que se candidata a salvador da Pátria
bom fds