04 novembro, 2008

Haverá ainda jornalistas ?

Ouvi hoje, sem surpresa, por estar farto de saber o que a casa gasta, o jornalista Ricardo Costa, um homem que tem responsabilidade de direcção na Sic-Notícias, mas que deveria ter ainda mais, para com a sua carteira de jornalista, dizer a propósito do caso do Banco Português de Negócios, que há muito tempo que toda a gente sabia o que se passava naquele Banco.

A pergunta óbvia que o colega que o entrevistava não lhe fez e que deveria ter feito, não fosse o corporativismo, pouco profissional, que envolve toda aquela gente, seria então porque não o denunciaram ? Porque não fizeram disso notícia ?.

Se já toda a gente sabia, como Ricardo Costa afirma agora, fazendo o seu papel de esperto, não seria cumprir o papel de jornalista, trazer o assunto ao conhecimento público ?

O que fala mais alto ,a sua condição de jornalista ou a de gestor que não quer perder, as receitas que aquele banco pode trazer ao seu grupo ?.

Incluo claro o Expresso, que pretende ser o paradigma da informação exemplar, desde qe não prejudique o negócio claro.

Ele há carteiras de jornalista, entregues a quem o não merece

3 comentários:

Claras o contestatário disse...

Lindinho

parece que Vítor Constâncio sabia desde Março

neste momento só me pergunto, porque não fez nada?

Luís Maia disse...

Muito simplesmente porque o Banco de Portugal não faz o seu papel de regulador, mas o de líder do Grémio (chamo de propósito) Bancário.

Mas ainda não sei se Constâncio avisou o governo ou não.

Aqui só refiro o papel do jornalista (?) que diz conhecer a situação à muito tempo e não cumpriu o seu dever

Luís Maia disse...

Ele há erros e à erros.

Envergonhadíssimo