02 outubro, 2008

Um jogo para homens



Ultimamente tenho tido a oportunidade de ver na TV, imensos jogos de baseball, o jogo dos jogos, segundo o conceito americano.

Tenho observado que aquele jogo, teria todas as condições para também ser idolatrado em Portugal, pelas mais variadas razões, que passo a enumerar.
  1. Regras simples, sem desenvolvimentos intelectuais cansativos, Uma gajo atira a bola e o adversário tenta bater-lhe, pelo que se muniu previamente dum bastão.
  2. O homem do bastão, luta conta o resto da equipe adversária, o que é um conceito bem português fadista, do desgraçado sozinho contra a humanidade.
  3. O artista, tem que se desenrascar tentando dar uma mocada na bola por forma a preferencialmente a coloca-la fora do campo.
  4. Enquanto isso o resto da maralha da equipa, está no banco, mastigando qualquer coisa tipo pastilha elástica, mascando tabaco ou ainda uma espécie de pevides que enfiam para a boca e cujas cascas vão deitando fora, sob a forma de cuspidela.
  5. Cuspir duma forma geral é prática generalizada, enquanto se bebe qualquer coisa, se conta umas anedotas e por certo se dá uns peidos. Quanto a isto nada de especial, li há dias uns ex-treinador do "nosso" Braga, dizer que lá no balneário se fuma e bebe.
  6. A assistência é perfeitamente familiar, vai toda a gente e as pausas próprias do jogo, servem para trazerem uns tabuleiros com o habitual da comida de plástico, made in USA, beberem uma bejecas provavelmente contar anedotas e dar uns peidos.
  7. Os jogadores não equipam de calçãozinho maricas como no futebol. Ali não há nada disso, calça comprida à homem, capacete na cabeça e protecção nos tomates, que a velocidade da bola chega a rondar os 100 kms/h.
  8. Não há beijinhos quando comemoram as vitórias, como as panasquices que vejo no futebol,ele é calduço valente no cachaço e tudo ao encontrão.
  9. Não há Ronaldinhos, nem Celsinhos, Didis ou Betinhos. Ali os gajos têm nome de macho-latino, Cabrera, Delgado, Ramirez, Zambrano e têm dentes de ouro, ou apelidos enormes que lembram descendentes eslavos.
  10. Nos EUA, sem contar com os jogos da finais, só na temporada regular as equipes, jogam cerca de 160 partidas. No futebol mariquinhas quando jogam ao sábado e na quarta-feira seguinte, "ai que os Betinho estão cansados coitadinhos".Vão mas é trabalhar como diz o outro
  11. Á boa maneira americana não existe essa coisa do empate, como resultado do jogo. Empate !!!? que merda de paneleirice é essa ? Só no futebol e nos jogos fatelas é que isso existe. Então um gajo está ali hora e meia e depois 0 a 0. Ná , no baseball, não há disso, aquela porra demore o que demorar, empates nem pensar, tem que haver sangue, exige-se que alguém fique esticado, logo ali.
Francamente digo, não compreendo as razões porque não há baseball em Portugal, que outra coisa se poderia imaginar mais apropriada neste país maioritariamente grunho.

3 comentários:

Claras o contestatário disse...

Basebal JÁ!!!

arranja-se já uma petição


beijinho risonho, mas acho que tens toda a razão.

Jorge Soares disse...

Excelente Post

Na verdade parece que as regras são complicadas, há Portugueses que vivem décadas nos EU ou em países onde se joga beisbol e nunca as conseguem perceber.... deve ser por isso que cá não se joga muito... os grunhos nunca perceberiam as regras.

Jorge

Luís Maia disse...

Regras facílimas de aprender ao alcance de qualquer americano médio o que significa um sub-grunho

Eu que sou um grunho normal aprendi aquela coisa só a ver na TV 2 ou 3 jogos num canal chamado NASN.